13 de abril de 2022

Como escolher a iluminação para ambientes

Tempo de Leitura : 3 minutos

A iluminação tem o poder de focar, realçar, valorizar ou até prejudicar a experiência em um ambiente. Por isso, é muito importante que arquitetos saibam como usar de forma estratégica esse recurso, escolhendo os melhores tons para cada localização, e sabendo como aliar a iluminação natural à artificial, de forma que o ambiente comunique como um todo a intenção que o arquiteto quer transmitir em seu projeto.

O primeiro passo é definir qual a finalidade de cada ambiente e qual sensação se quer transmitir. É possível também que o mesmo ambiente possua pontos de iluminação diferentes, pensando em modos de utilização distintos. Um quarto, por exemplo, pode ter uma iluminação mais fria em áreas de circulação ou no closet e tons mais quentes ao lado da cama. O importante é saber usar a iluminação com intencionalidade

Tons de iluminação

A tonalidade da iluminação diz respeito à sua aparência e de que forma ela irá nos influenciar psicologicamente. De forma geral, existem três tipos de tons: 

Cores quentes

As luzes de cores quentes possuem tons mais amarelados e temperatura abaixo de 3.300 Kelvin. Essa tonalidade transmite acolhimento e relaxamento, por isso é muito utilizada em áreas de descanso, como nos quartos, salas de televisão e de estar

Tom de iluminação quente

Cores intermediárias ou neutras

As lâmpadas neutras têm o tom mais branco e temperaturas variando de 3.300 a 5.300 K. Sua principal característica é que não interferem na coloração dos objetos e podem ser usadas em qualquer ambiente. Normalmente, transmitem sensação de amplitude, atenção e limpeza, por isso são muito usadas em cozinhas, banheiros, lojas, salões de beleza e outros espaços em que seja necessário estimular mais o foco e a atenção. 

Tom de iluminação neutro

Cores frias

As cores frias possuem tonalidade mais azulada e temperaturas acima de 5.300 K. Por serem mais energizantes, são as mais usadas em ambientes em que seja necessário alto nível de atenção, como escritórios, indústrias e salas de aula, ou que queira destacar a limpeza do local, como clínicas, hospitais, farmácias, entre outros.  

Iluminação fria
Tom de iluminação frio

Conceitos importantes para iluminação de ambientes

Ao contrário do que se pensa normalmente, a tonalidade da lâmpada não está relacionada à temperatura física, ou seja: as lâmpadas de cores quentes não emitem mais calor que as lâmpadas de cores frias. 

Um exemplo claro disso são as lâmpadas LED que não emitem calor e podem ter diferentes colorações, desde os tons mais quentes até mais frios.

Outro mito comum é associar a tonalidade das lâmpadas ao consumo de energia, acreditando que as luzes mais amareladas (tons quentes) são menos potentes e consequentemente gastam menos energia. Contudo, não é a cor que dita isso e sim sua potência, que é medida em Watts. 

Vamos entender melhor alguns conceitos.

Watts

O Watt é uma unidade de medida que informa a potência da lâmpada e está relacionada ao seu consumo de energia. Um dos motivos que fizeram as lâmpadas LED se popularizarem é que, apesar de ter um custo mais caro que as tradicionais, elas consomem muito menos energia. De forma geral, 1 watt de LED equivale a 10 watts de uma lâmpada incandescente e 2,5 watts de uma lâmpada fluorescente.

Lúmen

O lúmen é a quantidade de fluxo luminoso emitido por qualquer fonte de luz, seja o sol ou uma lâmpada, ou seja: quanto maior o lúmen, mais a lâmpada iluminará o ambiente. Por isso, em projetos de iluminação é importante se atentar a esse dado, pois é ele que vai dizer a capacidade luminosa de uma lâmpada. 

Lux

O lux é um cálculo usado para definir a quantidade de lâmpadas necessárias para cada ambiente. Ele é feito dividindo a quantidade de lúmen de uma lâmpada pelo metro do quadrado do espaço.

Para a iluminação de ambientes internos em que sejam realizadas atividades de comércio, indústria, ensino, esporte, entre outras, o Ministério do Trabalho estipula que devem ser seguidas as normas NBR 5413 e NBR 8995, visando proporcionar um ambiente de trabalho ergonômico. Essas normas trazem, entre outras especificações, qual é o índice mínimo de luminância para cada tipo de ambiente. 

Agora que você já entendeu os conceitos básicos de iluminação para ambientes, veja como inovar no seu projeto usando as telas tensionadas. 

Escrito por:

Ana Francisca

Ana Francisca

Compartilhe este post

Logomarca Alumiframe Telas Tensionadas

TENHA NOSSOS MELHORES CONTEÚDOS